Alerta as equipes de transição municipal, em dezembro, posto de saúde sem prontuário eletrônico perderá recuso federal

Notícia/IMAP-www.imap.org.br

Os municípios têm até o dia 10 de dezembro para adotar o Prontuário Eletrônico nas unidades básicas de saúde, de acordo com informações do MS – Ministério da Saúde. A fim de dinamizar e organizar os processos, o item agora será obrigatório para os municípios e a não adequação poderá culminar em perda de recursos do PAB variável, que é responsável por abastecer os programas Saúde da Família, Brasil Sorridente e para os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs), além de influir negativamente nos indicadores do PMAQ, resultando em expressiva perda de receita para o município.

Com a implantação do e-SUS, pretende-se reestruturar o atual sistema de informações da atenção básica substituindo gradativamente por um novo sistema de informação: SISAB – Sistema de Informação em Saúde da Atenção Básica. A partir do SISAB, outros sistemas com dados originados na atenção primária podem ser alimentados automaticamente.

Através do uso da plataforma digital, obrigatória pelo MS, será permitido que todos os serviços de saúde da cidade sejam acompanhados, desde o histórico de atendimentos aos dados e resultados de exames dos pacientes. Além disso, é possível verificar a disponibilidade de medicamentos em tempo real, ou mesmo registrar as visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão.

O atual Ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou que o MS está preparado para apoiar os municípios que encontrarem dificuldades na implantação do prontuário eletrônico. Assim, cada gestor deverá reportar suas necessidades à pasta, até 10 de dezembro, que avaliará cada caso a fim de providenciar a estrutura necessária à transmissão dos dados.

Tendo em vista a realidade municipal e a necessidade e de um olhar mais atento no que se refere a gestão pública, o IMAP – Instituto Municipal de Administração Pública, dispõe de softwares que podem auxiliar os municípios no cumprimento dos prazos exigidos pelo Ministério da Saúde, além de fornecer o armazenamento desses dados, contribuindo para que esse processo de integração das informações entre município e a União se dê da forma mais organizada possível.

O Serviço Online de Saúde – SOS

O módulo Prontuário Eletrônico fornecido pelo IMAP através do software SOS, agora exigido pelo MS, possibilita a integração de dados e processos entre todas as unidades de saúde do município. Ele oportuniza o registro em prontuário eletrônico contendo exame físico, registro de vacinação, ficha de anamnese, além de inscrição de antecedentes médicos familiares, escopo social-econômico e históricos anteriores.

O IMAP faz o suporte entre o município, através de seus softwares, e a plataforma do MS para que a transmissão dos dados da rede municipal à base nacional seja 100% digital, permitindo ainda que o Ministério da Saúde verifique em tempo real como está sendo investido os recursos do SUS na saúde do cidadão.

A implantação do sistema IMAP também contempla o treinamento dos servidores envolvidos no processo e a assessoria necessária para viabilizar o uso do sistema e do novo e-SUS.

Além disso, já que 76% das unidades básicas de saúde ainda registram o histórico do paciente em papel, a ferramenta do IMAP ainda pode ser implantada no município de forma off-line sem perda de dados.

CB Notícias, em um segundo tudo pode mudar!