Por que ter um jogador expulso no Mundial vira grande preocupação do Real Madrid

© Getty Sergio Ramos foi expulso mais uma vez contra o Barça

Se confirmar o favoritismo e chegar à final do Mundial de Clubes ou mesmo se perder para o Al-Jazira e disputar o terceiro lugar, o Real Madrid terá de tomar cuidado com possíveis expulsões em sua última partida nos Emirados Árabes Unidos.

Tudo porque no regulamento da Fifa está previsto que se um jogador receber cartão vermelho no último jogo de uma competição Fifa, ele terá de cumprir tal suspensão automática na partida seguinte do próximo torneio que disputar.

Traduzindo: se o Real tiver um jogador expulso, ele não poderá enfrentar o Barcelona no Superclássico do dia 23 de dezembro, às 10h (de Brasília), no Santiago Bernabéu – com transmissão AO VIVO e EXCLUSIVA dos canais ESPN.

O diário espanhol Marca evoca o artigo 38 do Código Disciplinar da Fifa para citar esse problema que o Real Madrid pode ter.

“As suspensões por jogos derivadas da expulsão de um jogador fora de uma competição (partida ou partidas isoladas) ou que não se tenham cumprido dentro da competição em cujo transcurso tenha-se acabado (por eliminação da equipe ou por ter-se tratado do último jogo do torneio), se cumprirão do seguinte modo: d) Mundial de Clubes da Fifa FIFA: na seguinte partida oficial do clube”, diz o artigo.

Há um precedente aberto para o caso, quando Gary Cahill foi expulso na decisão de 2012 contra o Corinthians e não pôde jogar com o Chelsea no duelo seguinte, válido pela Copa da Liga Inglesa, para cumprir a punição.

O time comandado por Zinedine Zidane está completo nos Emirados Árabes Unidos e tentará validar o título mundial conquistado em 2016. Seu principal adversário é o Grêmio, que está do outro lado da chave e pega na semifinal o Pachuca.

Matéria: MSN Brasil