Chapa encabeçada por Jailson Macedo Freitas recebe novas adesões e ganha musculatura para disputar a presidência do Sinbaf

O Sindicato Baiano dos Árbitros de Futebol, pretende realizar eleições para definir mesa diretora da entidade.
Que o ano 2018 tem sido a típico pra arbitragem baiana todos já notaram, mas um ingrediente a mais tomou conta da categoria que tem andado insatisfeitissíma com à atual gestão do Snbaf, a o desejo de disputar as eleições por uma chapa de oposição encabeçada pelo experiente Árbitro de renome nacional, Jailson Macedo Freitas.

O que à atual gestão do SIMBAF não contava era com os desfechos que se vem tomando ao longo das últimas semanas, com a enorme adesão de associados junto ao nome de Jailson Macedo. A direção do Sindicato Baiano dos Árbitros, prevendo uma possível derrota nas urnas, começou a criar diversas dificuldades para os árbitros que já se manifestaram publicamente pela renovação, ou seja, saída dos atuais dirigentes máximos do SINBAF (se negando a devida regularização de associados inadimplentes, tratando-os como inimigos do sindicato. Desprestigiando antigos árbitros que tanto contribuíram para criação da antiga Abaf, hoje, Sinbaf, etc).

Para o CB Notícias, a chapa encabeçada por Jailson Macedo, é a mais coerente para dirigir a entidade. Jailson tem dado exemplos de lisura e transparência em tudo que faz. Pontuaremos alguns dos requisitos que capacitam Jailson para presidir o Sinbaf.

Razão primeira: Jailson Macedo é reconhecido nacionalmente por seu caráter ilibado (tem abertura com as federações de todo o País, bem como com a CBF.

2°- Jailson é candidato da FBF? Não. Jailson fora escolhido por um grupo expressivo de árbitros insatisfeito com o modelo de gestão implantado pela atual gestão do Simbaf. Após reuniões exaustivas de vários Árbitros, chegou-se o entendimento de que Jailson é o nome qualificado para presidir o sindicato. Em seguida formularam o convite ao mesmo, que após conversas com sua família e amigos, aceitou o desafio.

3°- Jailson é oposição por oposição? Não. Ele esperou o Sinbaf, que tinha um modelo de gestão como proposta, mas infelizmente se desvirtuaram no ideal, por tanto aí está o fato da candidatura de Jailson Macedo, para ele, Jailson, “não deve haver exclusivismos dentro da entidade, não existe isso de Árbitros do interior X Árbitros da Capital. Entidade forte, não a que para campeonatos, faz protestos velados ou manifestos, vive brigado com entidades máximas. Uma entidade forte, é que converge com os ideais de todos sem fraturar direitos alheios em detrimento dos “meus”, é entender que a entidade deve servir seus associados e não ser servida por estes”.
Por tanto aí está mais uma virtude de Jailson, ele não ficou denegrindo a imagem do Sinbaf e seus diretores durante a gestão, Macedo, inicialmente como muitos outros Árbitros, se afastou por não ser utilizado pela entidade para seu fortalecimento natural de marca em suma, aguardou o período eleitoral, para se posicionar após decisão coletiva de parte da classe, para só então postular o cargo para efetivas mudanças.

4°- O número expressivo de Árbitros que se afastaram do sindicato nas primeiras ações da atual gestão, bem como o súbito retorno em massa, só deixa claro que o problema não foram as cobranças exorbitantes de contribuição, inclusive extinta pela lei, válida já para o ano de 2018, embora vigore no prazo máximo de 120 dias, já se conta a partir de abril passado. Mas todo o conjunto de discrepância praticada pela direção atual.

Esses são alguns dos pontos que fomentam a candidatura de Jailson Macedo Freitas, acrescidos a tudo que se discorreu a cima, tem o fato de alguns Árbitros terem sido obrigados a buscar o Ministério Público do Trabalho, para exercerem direitos básicos, como acesso a situação cadastral e possíveis inadimplências. Com o agravo, de que ao buscar na entidade, lhes fora negada pela secretaria, que afirmou que “só poderia fornecer”.

Após algumas tentativas, Jailson foi recebido por Arilson que o informara que “já estava com o jurídico, e respinderia a posteriori”.

Para Clarivaldo Pessoa, autor da ação de reclamações no Ministério Público do Trabalho, feita na última sexta feira (04/05), “é uma absurdo, durante à atual gestão não constar reunião entre os membros do conselho fiscal da entidade. Pois devido a necessidade de número ímpar mais que um, sendo que o conselho é composto por três membros titulares e três suplentes, sempre faltou um, em virtude deste ter ido morar no Estados Unidos, o Sr Rafael Luis”.

Uma pergunta; por que não se convocou o primeiro suplente, Vidal Lopes?

Uma gestão preocupada com seus associados esconderia estas informações por quê?

Por que coletou contribuições de árbitros não sindicalizados?

Esclarecemos que outros nomes conhecidos e respeitados na ativa e Árbitros não atuando na função, fazem parte da chapa de Jailson Macedo, são eles; Emerson Ricardo, Vidal Lopes, Carlos Souza Vila Nova, Belmiro Silva, dentre outros que serão indicados em eleição.

Por Clarivaldo Pessoa
CEO-Jornal e Site Conexão Baiana Notícias
Coach Life & Executive
Arbítrio de futebol

CB Notícias, em um segundo tudo pode mudar!